buzioscvb@gmail.com
+55 (22) 2623-3260

BCVB relembra as memória de um povo buziano

Quem se lembra da Búzios das latas d’água na cabeça, dos cercos e arrastões de rede nas praias? Época em que toda gente temia o boitatá, e se juntava nas Casas de Farinha ralando, moendo, assando o que na época representava a própria moeda local.

Na cangalha de burros por trilhos de mato seguia o peixe escalado e a economia de um povo que buscava seu sustento no mar. A bordo de caícos do Mar Novo, a juventude de Búzios escrevia sua história. Regada a tempestades, peixes gigantes, cenas incríveis onde só existe água e céu, homens buzianos se aventuravam, como transformados em verdadeiros heróis.

Em terra, mulheres e crianças tratavam de dar sentido à rotina dura das lavouras e casas de salga. Numa terra seca, onde se esperava minar água no poço para lavar roupa, e cozinhar, toda ajuda era bem vinda e a comunidade dava conta de cuidar dos seus. Como dizem os mais antigos quando querem resumir uma história, era assim a vida em Búzios…

Reencontro com o nosso ponto de partida
Ouvir matriarcas e patriarcas, representantes mais antigos das famílias tradicionais desta aldeia. Suas experiências pessoais e de vida em comunidade. Acontecimentos que moldaram a pequena e isolada Armação de Baleias da Ponta dos Búzios.

Da memória afetiva do povo buziano, através da oralidade, nasce o “Acervo da Imagem e do Som de Armação dos Búzios – Memória de um povo”, um Arquivo Digital de Documentários Biográficos, filmes produzidos a partir de depoimentos dos moradores mais antigos.

Uma produção iniciada nos anos 90 pela jornalista Maria Fernanda Quintela e pelo cinegrafista Nenéu Menezes, que já soma hoje 72 Documentários Biográficos.

Homenagem no Dia Nacional do Patrimônio Histórico, 17 de agosto
No próximo dia 17, às quatro horas da tarde, no Cine Bardot em Búzios, será exibido um Filme Documentário realizado com vinte personalidades buzianas, que serão homenageadas ao lado de suas famílias. Pessoas que através de seu depoimento de importância histórica ao projeto “Memória de um povo”, ajudam a cidade de Armação dos Búzios a conhecer a raiz de sua própria cultura.

Comentários