buzioscvb@gmail.com
+55 (22) 2623-3260

Velejadoras de ouro do Brasil estão treinando em Búzios

Martine Grael, eleita a melhor velejadora do mundo em 2014 e única mulher brasileira a disputar a Volvo Ocean Race, a prova mais desafiadora da classe oceânica, elege a Praia de Manguinhos, em Búzios, como uma das três melhores do planeta para a prática dos esportes a vela.

Por Gustavo Medeiros

As velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos 2016 na classe 49erFX, eleitas em 2014 atletas do ano pela Federação Internacional de Vela, estão treinando em Búzios para as últimas competições de 2018. Para o novo ano que se aproxima, treinos e competições mundo a fora. De Búzios, vão seguir para Nova Zelândia.  São cerca de 20 horas de viagem e um fuso-horário de 15 horas à frente do Brasil. Viver no céu e na terra elas fazem muito bem.  Em Manguinhos, as “ meninas de ouro “ se dividem nos treinos e o prazer de estar em Búzios. Enquanto Kaheana confere os equipamentos do barco, ancorado nas dependências do Búzios Vela Clube, Martine Grael, 27 anos, primeira mulher brasileira a disputar a Volvo Ocean Race, a prova mais desafiadora da vela oceânica, relaxa:

– Frequento Búzios desde cedo, ainda bem pequena. Todos os anos estou aqui para treinar e curti este lugar que adoro. As condições aqui são perfeitas, ventos constantes, clima quente e águas transparen tes, o que fazem de Búzios, na minha opinião, um dos três melhores lugares no planeta para a prática desse esporte – confidenciou a velejadora, dona de duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio (2016) e Santander (2014).

Dos 360 dias do ano, a dupla de ouro curte o Brasil uns 60 dias e nos demais, treinando ou competindo em algum lugar desse mundão. De olho em Tóquio-2020, ela optou por tirar uma temporada para refrescar as ideias, buscar novos desafios e só depois retomar a parceria com a amiga Kahena Kunze. A ideia também veio com o propósito de fortalecer a amizade, que acaba se desgastando por conta de treinos.

Nada melhor então do que sair sem destino, com uma embarcação com oito desconhecidos, de países, hábitos e culturas diferentes. Martine faz parte da equipe holandesa da Akzonobel, que tem uma tripulação formada com gente da Holanda, Dinamarca, Inglaterra, Austrália e até de Bermudas.

Seu nome incomum, Kahena, vem de uma mitologia guerreira tribal invencível dos Montes Urais. Começou com a vela ainda criança na represa de Guarapiranga, em São Paulo, antes de sua família se mudar para o Rio, aos 10 anos, quando começou a competir na classe optmist. Ela também frequenta Búzios há anos, e considera a raia Búzios também uma das melhores do mundo.

Mesmo muito bonita, simpática e com alto grau de humildade, Martine está sempre focada. Sobrinha de outra estrela do iatismo Mundial, Torben Grael, ela fala intensamente, sobre compartilhar o seu conhecimento com outras pessoas, em especial, aquelas que são desprovidas de recursos para ingressar no esporte. Ela destacou o trabalho desenvolvido que vem sendo feito pelo tricampeão mundial de windsurfe, Ricardo Winicki Santos, o Bimba, que mantém há 15 anos, no Búzios Vela Clube, o Centro de Treinamento Bimba de Windsurf, cujo objetivo é a formação de atletas para competições nacionais e internacionais de Wind. Albert Carvalho, buziano da gema, é um dos exemplos. Ele ingressou no projeto social do Bimba e hoje, conhece vários países do mundo sob uma prancha de Wind.

Quanto os três lugares apontados por Martine como os melhores do mundo, ela foi enfática: “ Rio de Janeiro (capital), Búzios e Palma de Maiorca, na Espanha “.

 

Perfeitas condições para pratica dos esportes

a vela em Búzios é conhecida mundialmente todo mundo

Se Búzios é um dos três lugares no planeta com condições perfeitas para a prática dos esportes a vela, aqui é lugar também, todos os anos, de grandes competições desse esporte. De 23 a 25 de novembro, por exemplo, acontece a tradicional Regata dos Veleiros Clássicos, no Iate Clube de Búzios. Em maio de 2019, já está confirmada a realização do Campeonato Sul-americano de Windsurf.

No ano em que Martine e Kahena subiram no lugar mais alto do pódio, nos Jogos Olímpicos Rio 2016, de 5 a 21 de agosto, garantindo o ouro para o Brasil, empresários de Búzios, representando diversas entidades privadas ligadas ao turismo ( Búzios Convention & Visitors Bureau, Associação Comercial e Empresarial de Búzios e Associação de Hotéis de Búzios ), lançaram a campanha #VelaEmBúzios2016, com o objetivo de trazer as competições da modalidade durante os Jogos Olímpicos para a Região dos Lagos, mais precisamente, para a cidade de Armação dos Búzios.

A indicação de Búzios foi rejeitada pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos, mesmo com a visível poluição da baia de Guanabara, sede das competições de iatismo. O porta voz da campanha #VelaEmBúzios2016, empresário Thomas Weber, hoje presidente da Associação Comercial e Empresarial de Búzios (ACEB) e do Sindicato Patronal dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SindSol), disse que a campanha, muito embora Búzios não tenha sido eleita como local da competição, foi positivo pelo falo do assunto ter atraído a imprensa do mundo inteiro:

– Vamos continuar na missão de divulgar Búzios como um dos melhores lugares do mundo para a pratica dos esportes a vela. Oferecemos as melhores raias para a prática da Vela, segundo os próprios atletas nacionais e internacionais; é escolhida por velejadores de todos os cantos do mundo como local de treino; condições de mar e vento ideais para o esporte; cidade que mais recebe eventos nacionais e internacionais de vela – com total infraestrutura com mais de 12 mil leitos em pousadas e hotéis, 250 restaurantes de diversas nacionalidades e de alto patrão, e lojas com todo tipo de comércio. Além disso, na cidade vizinha de Cabo Frio, contamos com shopping center, aeroporto internacional e batalhão da Polícia – comentou Thomas.

Comentários